COMO VENCER O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO COM 10 PRÁTICAS COMPORTAMENTAIS

O medo de falar em público é um dos medos mais presentes na população de uma forma geral. A glossofobia, que está na categoria de fobia social, pode prejudicar bastante o desenvolvimento profissional e social de uma pessoa. Independente da condição cultural ou financeira, o medo de falar em público é mais comum do que podemos imaginar tendo uma incidência alta no meio corporativo. A introspecção e o afastamento das relações sociais ou da equipe de trabalho ocorrem com grande frequência nesses casos.

Os sintomas relacionados ao medo de falar em público podem variar de intensidade e formato, mas os mais comuns são: o surgimento de uma intensa ansiedade antes de ter de falar em público ou simplesmente ao pensar sobre isto; desconforto físico geral; possibilidade de sensação de náuseas ou pânico; boca seca; alterações no padrão da voz; rigidez muscular geralmente concentrada nos músculos das costas e pescoço; em casos graves podem ocorrer vômitos e ataques de pânico, que podem ser percebidos pelo aumento da sudorese na pele ou tremores nas mãos, braços ou pernas.

Uma pessoa que deseje alcançar a liderança em seu meio de atividade deve vencer esse medo antes de qualquer outra medida. O receio de falar em público está ligado ao medo de errar, de ouvir críticas, de ser repreendido e, como em muitos outros processos de ansiedade, vai ao encontro com o desconhecido: algo que ainda não ocorreu – e pode nem chegar a se concretizar no futuro – cria uma barreira no presente. Assim o “eu não consigo” ou “eu não estou pronto” surgem como justificativas e desculpas para a incapacidade de crescer profissionalmente.

DICAS COMPORTAMENTAIS: COMO VENCER O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO

Elaboramos 10 dicas comportamentais que podem ajudar bastante a vencer a ansiedade e permitir uma boa oratória a qualquer pessoa que realmente tenha a intenção de ultrapassar essa barreira social:

1 – BEBA ÁGUA – Um bom truque comportamental é ter uma garrafa pequena ou copo próximo para, sempre que houver uma pausa, tomar um pouco de água. Manter o copo na mão ou a garrafa também é válido se a audiência for pequena e o ambiente familiar (como a sala de reuniões da empresa).

2 – POSTURAS DE VENCEDOR – Uma pesquisa de Harvard comprovou que algumas posturas alteram as taxas hormonais colocando o corpo mais à vontade para enfrentar desafios. Antes de começar a sua apresentação, vá a um canto onde não possa ser visto (o banheiro, por exemplo) e faça as seguintes posturas por dois minutos: a pose do super-homem ou mulher-maravilha com as mãos na cintura; postura do general com as mãos atrás do corpo; e as mãos no alto se encontrando atrás da cabeça. Pronto! Após isso você vai estar bem melhor disposto para a sua palestra.

3 – COMECE DE FORMA LEVE – Sempre que possível comece sua apresentação com uma história leve, uma metáfora, uma coisa engraçada sobre o tema (não depreciativa) para conquistar a simpatia dos presentes logo nos primeiros minutos.

4 – USE FICHAS E POWER POINT – Por dois motivos: as fichas lhe ajudam a ficar com as mãos ocupadas e o power point, além de servir de guia nos assuntos, também divide a atenção da plateia diminuindo o possível impacto psicológico das pessoas olhando fixo para você.

O PODER DA LINGUAGEM NO AMBIENTE CORPORATIVO

VOCÊ CONSEGUE SIM!

5 – NÃO COMA MUITO NÃO TOME CAFÉ – Claro, todos sabemos que o café é estimulante, mas, também causa ansiedade. Comer muito, antes de uma apresentação, pode lhe causar desconforto físico e lentidão de raciocínio. Procure se alimentar levemente nessas ocasiões.

6 – MÃOS NOS BOLSOS? NUNCA! – Uma postura que deve ser evitada a todo custo é o ato de enfiar as mãos nos bolsos com todos os dedos juntos. Isso passa uma ideia de medo além de ser grosseiro. Se tiver de colocar as mãos nos bolsos mantenha, pelo menos, os polegares para fora. Isso é menos ofensivo à plateia.

7 – TREINE UM POUCO MAIS – Vale tudo para um bom treino: gravar em vídeo e analisar depois, se apresentar em frente a um espelho, usar a família como cobaias e falar sozinho enquanto dirige para o trabalho ou de volta para casa. Ninguém se sente completamente preparado para enfrentar uma audiência, no entanto, o treino constante traz mais segurança as pessoas.

8 – LAPELA OU MICROFONE DE MÃO? – Isso vai depender do equipamento disponível, do tamanho da audiência e se realmente é necessário. O uso do microfone de mão tem seus segredos e, um deles, é descobrir se ele é direcional ou não. Se for, tenha o cuidado de estar sempre com ele voltado para a sua boca ao virar a cabeça por algum motivo. Muitas pessoas mantém o microfone na frente do dorso e movem a cabeça em todas as direções. Alguns microfones não são capazes de captar a voz dessa forma: eles precisam ser direcionados para a boca do orador.

9 – UM BOM FINAL – Toda apresentação deve ter um grande final para ser lembrado. Um encerramento que toque emocionalmente as pessoas. Isso pode ser feito com uma metáfora inspiradora ou por uma história pessoal que tenha um fundo ético e moral.

10 – FAÇA BONS CURSOS E TREINAMENTOS – Várias instituições ofertam cursos de comunicação e oratória em público. Esses cursos podem ser feitos por qualquer pessoa que deseje, de forma presencial ou online. O Instituto de Psicologia Ser e Crescer (ISEC – com sede em Copacabana na cidade do Rio de Janeiro) tem uma agenda de cursos em várias capitais do país e também leva este tipo de treinamento para dentro das empresas em um perfil In Company de apenas um dia. Veja neste link: http://manualdoexito.com.br/wordpress/oratoria_  todos os formatos disponíveis de cursos de oratória e comunicação em público.

FINALIZANDO

Esses cursos focam em dinâmicas e estratégias comportamentais que criam uma atmosfera de segurança possibilitando uma apresentação tranquila com as posturas adequadas. Criado por psicólogos com larga experiência em veículos de comunicação de massa, sala de aula, congressos e conferências, este perfil de conteúdo também irá impactar na sua vida social de forma positiva.

Entre no link e tenha mais detalhes sobre todos os formatos possíveis de vencer o medo de falar em público.

Comentários

comments